Vida Saudável

Uma vida saudável começa com incentivo e as dicas certas para fazer o seu dia-a-dia mais simples!


jul/2016 - Glico 2

Adoçante pode?

A resposta é sim, pode, mas há limites para não comprometer a sua saúde. Na verdade, os adoçantes (também chamados de edulcorantes) não provocam variação glicêmica e dão um sabor adocicado a alimentos e bebidas. Entretanto, eles podem trazer outros riscos à saúde e, por isso, assim como o açúcar, também devem ser consumidos com moderação.¹ ²

No Brasil, existem diferentes tipos de adoçantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Eles são divididos entre naturais e artificiais, e entre os mais conhecidos estão o aspartame, a sacarina e o ciclamato.² Para amenizar aquele gostinho sintético ou amargo que o adoçante tem, muitas empresas mesclam mais de um edulcorante na mesma fórmula. É comum encontrar combinações como ciclamatos, sacarina e sorbitol, por exemplo.

Nos Estados Unidos, o uso do ciclamato foi proibido em 1969 pela agência reguladora de lá, a Food and Drug Administration (FDA).³ No Brasil, o ciclamato é encontrado em refrigerantes, gelatinas, iogurtes e bolos e seu consumo é considerado seguro.

A Organização Mundial da Saúde recomenda que a quantidade diária de adoçante seja ingerida de acordo com o peso corporal de cada pessoa. A ingestão aceitável de aspartame é de 40 mg (por quilo corporal). No caso da sacarina, a recomendação diária é de 5 mg (também de acordo com o peso da pessoa).4

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Dietéticos e para Fins Especiais (Abiad) disponibiliza em seu site uma ferramenta que calcula o índice de Ingestão Diária Aceitável (IDA) de cada adoçante.² Já em parceria com a Anvisa, a Abiad disponibiliza uma cartilha com esclarecimentos sobre as principais dúvidas com relação ao consumo de adoçantes.5